Frida Kahlo

Astrolabio 3rd Edition
Astrolabio 3rd Edition

Estudo de Caso sob a ótica Helenística

por Paula Belluomini

Uma das críticas comuns que se ouve em relação a Astrologia Tradicional é a falta de uma análise psicológica em sua leitura Astrológica, que supostamente se atém a uma visão fatídica e desprovida das facetas mais sutis da psique humana. Neste artigo apresento uma leitura tanto tradicional quanto psicológica para atenuar esta crença que pode ser desmistificada, pois não encontra ecos quando o exame é aprofundado. Decerto que a Astrologia Tradicional se fundamenta em tendências de caráter fatídico, o que é ótimo para a previsão de acontecimentos, mas fenômenos mentais ou emocionais também são revelados e delineados, muito para nossa vantagem.

A natividade escolhida é de Frida Kahlo, uma mulher a frente de seu tempo, controversa, atuante, sofrida e com hora de nascimento evidentemente acurada, o que torna o trabalho mais seguro. Nascida a 6 de Julho de 1907 – as 8h30 LMT, Coyoacán, Mexico encontramos uma natividade com aspectos positivos e negativos, aspectos desafiadores que quase lhe retiraram a vida compensados por muitos planetas protegidos em exaltação que provavelmente atuaram como salvadores e lhe asseguraram a sobrevivência e sucesso. Ao construir a natividade de Frida Kahlo encontramos um mapa diurno com Sol na casa XII em signo Cardinal Aquático conjunto a Júpiter em exaltação, Lua igualmente em exaltação em Touro e o Marcador da Hora a 23º31’ de Leão. Com muitos planetas em Câncer na casa XII, Frida pode ser delineada como uma mulher reclusa, dedicada ao lar, amante das atividades culinárias, maternal, acolhedora e emocionalmente disposta a ajudar aqueles com necessidades. Seu acurado senso familiar a levaria a procurar identidade nas raízes de suas origens.

O caráter escuso de Frida pode ser atribuído à conjunção do Sol e Júpiter na casa XII, mais predominantemente marcado pelo Sol, já que este é o regente do Marcador da Hora. Regente da casa I simboliza a identidade, vida, corpo, mente e aparência, na casa XII, encontramos uma mulher que ficou longos e recorrentes períodos isolada em hospitais. Primeiro na infância devido a poliomielite que contraiu aos 6 anos de idade, depois com o grave acidente de ônibus que perfurou a região pélvica aos 18 anos de idade, e mais tarde com complicações decorrentes do acidente, repetidos abortos e outros problemas que ocasionaram internações hospitalares. Tradicionalmente o Sol é também o significador do pai, “para o Sol presente nesta casa declara o nativo ter nascido de um pai que é escravo ou um forasteiro ou nascido no baixo-clero, ou ele é expelido dos cuidados de seu pai ou o pai é lesado”(1). Originário da Alemanha, Guilhermo Kahlo, pai de Frida, era imigrante que teve seus estudos interrompidos, tornou-se fotógrafo com problemas financeiros devido a perseguições governamentais e era debilitado por motivos de saúde. Delineação adequada ao seu caso. Porém seu pai foi decisivo em sua educação. Como Frida sofreu poliomielite na infância, atrasou seus estudos e passou mais tempo em casa. Tornou-se a favorita de Guilhermo que a ensinou arte, filosofia, fotografia, bem como a encorajou a superar sua doença, sendo ele também limitado devido a epilepsia.

Além disso a décima-segunda casa traz ênfase e foco nos inimigos, marginalizados e aqueles em classe social inferior. Frida desde jovem envolveu-se em ativismo político, sendo militante do PCM – Partido Comunista do México – com a preocupação trazer mais justiça e condições sociais igualitárias, especialmente em seu país de origem. Assim as atribuições de Câncer, raízes familiares e nacionalistas, se combinam com as preocupações dos menos privilegiados, casa XII. Em suas viagens e reflexões observava as diferenças de classes como injustiças a serem retificadas também em países estrangeiros.

Ultima Cena, 1920
The Last Super

E defendeu sua cultura com muito orgulho envolvendo-se no movimento de indigenismo no qual a identidade e herança cultural nativa do México era valorizada para livrar-se da posição de inferioridade que eram colocados os países colonizados. Daí vemos uma faceta de interessantes ramificações psicológicas, com o regente do Marcador da Hora em Câncer na casa XII, tradicionalmente associada aos menos favorecidos socialmente.

Segundo Rethorius “os benéficos causam lesão (injury) na casa XII e não conferem suas graças”(2). Ao analisar Júpiter, o benéfico a favor do séquito e portanto o mais apto a proteger e honrar a nativa, ocupa lugar auspicioso por dignidade essencial em exaltação em Câncer ademais em seus próprios termos, o que confere proteção. O maior benéfico em geral confere riquezas e reconhecimento, coisas que Frida experimentou em vida, mas benéficos na 12a são impedidos de oferecer seu amparo. Na Casa do Mau Daemon distribui sofrimento, especialmente relacionado às casas regidas por este planeta que são a V casa dos filhos, dos casos amorosos, prazeres e diversão; e a casa VIII das perdas, morte e deterioração. Segundo Brennan(3) os assuntos de casas regidas pelo mesmo planeta acabam por se concatenar e decerto suas investidas nesta área de filhos resultou em perdas com repetidos abortos espontâneos, fonte de muito pesar. Apesar de estar exaltado, sua posição relativa ao Marcador da Hora não é de toda favorável uma vez que não o testemunha. Além disso está se pondo sob os raios do Sol ao aproximar-se da conjunção com menos de 7º de orb. Planetas em exaltação se livram da condição de combustão e quando em seus próprios termos tem ainda melhores condições de funcionamento, o que favorece as condições do benéfico a favor do séquito. Outra vantagem é Júpiter receber a Lua angular também exaltada em sextil por signo, uma configuração de proteção e atividade privilegiada. Ou seja, houve louvor. Frida teve casos amorosos (Júpiter é regente da casa V) secretos (na casa XII) com pessoas de altíssimo nível social (Júpiter em exaltação), mas pouco acrescentou a sua felicidade pois não dava valor a este tipo de riqueza, anulação, tema de casa XII.

Sin Esperanza
Without Hope, 1945

Outro fator que diminui a capacidade de Júpiter garantir felicidade está no fato de estar oposto ao maléfico contrário ao séquito, Marte na casa VI. Lembrando que aqui uso o sistema de casas de signos inteiros e aspectos por signos. De acordo com Firmicus “Marte na casa VI indica muitos males. Ele será prejudicial para as crianças e causará doenças e muitos reveses na vida, de acordo com a natureza do signo. Em signos tortos, ele produz morte prematura e às vezes faz aleijados ou corcundas. Nesta casa todos os tipos de aflições são indicadas (…)”(4) Frida sofreu certamente muitos males, permanecendo inclusive lesada em uma perna mais curta que a outra consequência da poliomielite que contraiu quando criança. Delineação já bastante descritiva.

O planeta significador de sua carreira, Vênus regente do MC está em em Gêmeos, signo de ar e duplo, em sua fase diurna, reflete uma natureza dúbia, destemida e masculinizada. Frida tinha natureza rebelde, em sua adolescência gostava de vestir-se de homem e tinha apreço por homens e mulheres. Vênus é a benéfica contrária ao séquito e provém vantagens se bem dignificada. Apesar de estar essencialmente peregrina, nos termos de Saturno, testemunha o seu dispositor Mercúrio por signo em Leão, e por termo, Saturno em Peixes o que e atenua sua falta de dignidade. Vênus é naturalmente a regente de relacionamentos, e favoravelmente situada na casa XI, a regente da X acaba por mesclar os temas de carreira, relacionamento e grupos garantindo um círculo de amigos proeminentes, elevado status na sociedade, como era ilustre convidada de nobres encontros sociais por seu casamento com o prestigioso artista Diego Rivera. Sua boa dignidade acidental, somada às recepções listadas acima lhe garantiram influência que também chegava ao âmbito político. O casal fez petição e lhe foi cedido o exílio de Leon Trotsky e sua mulher Natalya Sedova para o México onde ficaram hospedados na Casa Azul, casa onde Frida nasceu e viveu a maior parte de sua vida. Mais tarde Kahlo e Trotsky tiveram um caso amoroso o que mais uma vez comprova a leitura de casos amorosos secretos do regente da casa V na casa XII.

O regente da casa VII, Saturno, é o maléfico a favor do séquito, portanto não danifica tanto quanto Marte, o maléfico contrário ao séquito. Está em Peixes na 8a casa por signos inteiros, é estrela matutina – o que é positivo – e está num trígono aplicativo a Júpiter, seu planeta regente, sendo este motivo para suspeitar que haveria casamento. Outro fator a ser relevado é o regente da casa VII ter configuração com Vênus. Ela foi casada com uma figura proeminente, que era 20 anos mais velho que ela e obteve sucesso em nesta relação. Mas, observando a efemérides, Saturno está estacionado retrógrado no momento de seu nascimento, o que coloca Frida em uma situação que deve esperar eventos recheados de reversões nesta área, a qual certamente teve muitas. Está em signo duplo e literalmente casa-se com Diego duas vezes.

Vênus, que naturalmente rege relacionamentos, e’ dominada por uma quadratura superior, ou sinistra, de Saturno regente da casa VII em Peixes. A quadratura é aplicativa com menos de 3 graus de orb, e assim se enquadra na categoria de extremamente aflita pois vai de encontro a um maléfico que vence nesta situação. Diego Rivera foi um marido apaixonado, presente e influenciador, porém as traições foram muitas. A que mais revoltou Frida e levou o casal a separação foi o caso amoroso que envolvia Cristina, irmã de Frida. Cristina era não só sua irmã, mas também amiga e confidente – regente da casa III na casa XI – e quando descobriu a respeito da traição estava numa época em que atravessava um período difícil em relação a sua saúde. Frida abandonou o lar, cortou o cabelo curto e parou de vestir-se com as roupas coloridas e notoriamente típicas que Diego tanto gostava. É interessante notar que a quadratura se dá entre Saturno, que é regente da casa VII na casa VIII (casa das traições), e Vênus, regente da casa III (de irmãs) na casa XI (amigos); significados que literalmente se transformam em fatos reais: o marido tendo um caso com a irmã confidente. Outra configuração interessante a ser notada é a recepção que Vênus forma com seu dispositor Mercúrio na casa I em Leão, refletindo os resultados da traição na sua aparência e identidade.

Mesmo depois da dolorosa revelação do caso entre Diego e Cristina, e da longa relação que Kahlo teve com o artista Nickolas Murray e outros homens, ela e Rivera reconciliaram e re-casaram em uma simples cerimônia civil. O regente da sétima em Peixes, signo duplo, em trígono com seu dispositor Júpiter, que está em exaltação, sim garantiu um casamento com um artista bem sucedido, mas muitos casos com pessoas de alto escalão social ou político (Júpiter), e estando em quadratura superior a Vênus, também relacionamentos tumultuados, marido infiel e amor recheado de desgosto.

Outro aspecto interessante deste mapa é o Mercúrio em Leão na casa I, o Leme ou a Casa da Vida, que de acordo com Rhetorius, “faz do nativo inteligente, prudente e engenhoso”(5). Um planeta neutro muito bem posicionado em seu Júbilo, porém estrela Vespertina quase por atingir sua elongação máxima, pronto para iniciar seu período de retrogradação, ou seja, estacionário e, sem dignidade essencial, está peregrino. Movendo-se menos que 40′ minutos-de-arco por dia denota reversões na vida, notoriamente vemos muitas.

Arbol de la Esperanza, Mantente Firme
Tree of Hope, Remain Strong, 1946

Em Leão, signo masculino o domicílio do Sol, fogoso, colérico, sujeito a raiva, libidinoso,(6) que quer ser ouvido, notado e respeitado. Frida foi colocada em posição de altíssimo destaque e visibilidade, e se revelou uma sagaz intelectual, capaz de circular sem dificuldades entre artistas e políticos exibindo perfeito domínio da língua inglesa, inteligência hábil para diferentes interesses e destreza para expressão artística ímpar. Regente de suas casas II & XI, teve merecimento reconhecido. Em vida Kahlo desde sua estada em São Francisco se referia a si mesma apenas como esposa de Rivera. Depois já admitia e se colocava como a melhor artista dos dois e independente dele. De volta a La Casa Azul e separada de Diego batalhou por sua independência financeira. Mas Mercúrio (regente da II) está em aversão ao seu dispositor, o Sol na casa XII, aonde não encontra a ressonância para estes impulsos independentes dos nativos nascidos sob este signo ascendente. Sua natureza rebelde e tempestuosa a fez perder muitos trabalhos bem remunerados. Mais uma vez a anulação desta casa se fazendo notar. Porém, numa posição de júbilo, ela obteve autonomia financeira.

Agora passando o foco para sua saúde, fator de mais tormenta na vida de Frida Kahlo, encontramos Marte em exaltação em Capricórnio na casa VI onde tem seu júbilo. Como é o maléfico contrário ao séquito, se caracteriza como o planeta mais capaz de causar-lhe dano. Estes fatores de Júbilo e Exaltação talvez a tenham feito uma sobrevivente em condições tão adversas. Frida sofreu o acidente de ônibus que quase custou-lhe a vida em 1925, aos 18 anos quando fraturou as costelas, as pernas e a clavícula. Um corrimão de ferro (Marte) a perfurou através dos quadris, fraturando o osso pélvico. Frida então passou um mês no hospital e dois meses se recuperando em casa quando começou a pintar. Ela teve de interromper seus estudos e deixar de lado sua ambição de tornar-se médica, que substituiu com o desejo de ser desenhista especializada em medicina. É interessante notar que Marte, o regente da casa IX (estudos superiores) na casa VI, como o maléfico contrário ao séquito se manifesta como causa na interrupção dos estudos, por causa do acidente.

Um espelho foi colocado acima para que ela pudesse se ver e pintar na cama e a pintura tornou-se uma maneira de Kahlo explorar questões de identidade e existência, expondo seu sofrimento através da pintura, que tornou-se sua profissão. Um exemplo quase literal de sua Lua, a regente da casa XII exaltada em Touro na casa X. Frida exaltou seu sofrimento através da arte, ela expôs seu sofrimento e fez desta exposição sua fama e profissão (casa X), praticamente uma transliteração de sua carta natal transformada em vida.

El Sueño, 1940
The Dream The Bed

E para finalizar com uma olhada mais precisa ao Regente do Marcador da Hora, o Sol regente do Ascendente em Leão de Frida Khalo, é também o Luminar a favor do séquito. Naturalmente representa mente e julgamento; regente da casa I, a vida, corpo e direção, está em Câncer na casa XII em oposição partil a Marte retrógrado em Capricórnio na casa VI. O Sol como o planeta mais importante de mapa e oposto ao maléfico contrário ao séquito em dignidade acidental desfavorecida – na casa VI, notoriamente a casa da Má Fortuna, mudando de fase, retrógrado e em quadratura a Saturno por signo, além das oposições. Esta delineação revela um corpo marcado por um acidente terrível aos 18 anos que a atou a cama intermitentemente por anos. Vale observar que Marte sendo o regente da casa IV na casa VI sugere as lesões físicas como o motivo que a prenderam dentro de casa. Passou por vários abortos espontâneos e uma gravidez mal-interrompida muito séria. Outras crises a levaram a remover o apêndice, a amputação de extremidades e sífilis. Os problemas de coluna decorrentes do acidente se agravaram durante todos os anos 40 quando teve de usar coletes estabilizadores com muitas dores que prejudicaram sua mobilidade, ou até mesmo sua habilidade em ficar de pé ou sentada continuamente. Também nesta época, no começo dos anos 40 Guilhermo veio a falecer (Frida tinha 33 anos) o que agravou sua saúde mental já fragilizada. Uma cirurgia mau feita na coluna em 1945 em Nova York a revoltou, e ela abriu o ferimento propositalmente. Até o final de sua vida (morreu em 1954 aos 47 anos de idade) passou por inúmeras cirurgias que no final a confinaram a uma cadeira de rodas. Um ano antes de morrer teve sua perna direita amputada joelho abaixo em decorrência de gangrena.

A oposição partil do regente do ASC a Marte o maléfico contrário ao séquito no eixo da casa XII e VI denota uma vida marcada por debilidade física grave. Porém seu quadro psicológico indignado e rebelde de natureza psicológica genial e talvez um tanto doentia pode também ter sofrido deste aspecto, ou uma combinação. A Lua em sua fase balsâmica nos termos de Marte durante o dia segundo Firmicus “indica heranças desperdiçadas e ocupações perigosas, e destas ocupações, perdas, disputas e separações (…) alguns nativos sofrem com viagens, outros com doenças”. Uma mulher que apresentou distúrbios emocionais que a levaram a ter casos extra-maritais repetidamente porém ainda assim querer estar casada com Diego, e por qual razão? Sua obsessão a levou a tentar o suicídio em 1953 quando descobriu que ele havia começado ainda mais um caso amoroso.

Lo Que el Agua Me Dio, 1938
What the Water Gave Me

Kahlo se comprometeu pela causa social com afinco, pela defesa dos menos privilegiados, das mulheres sem condições, e foi militante comunista até o fim da sua vida. Segundo Rhetorius “Jupiter no signo do Mau Espírito (casa XII) prognostica brigas e perigos e enfrentamento contra superiores. E sempre este deus neste signo (nesta casa) não é benéfico, especialmente à noite”. Apesar do sucesso como artista e intelectual, desprezava os mais ricos e não se importava com o status quo da sociedade estado-unidense ou européia. Em suas próprias palavras após retornar de Paris onde foi muito bem recebida pelos Surrealistas e estilistas de moda, escreveu para a um amigo sobre eles “um bando de dementes lunáticos e estúpidos surrealistas (…) loucos intelectuais tão estragados que não posso suportá-los”. Seu foco era mesmo nos mais pobres e marginalizados. Quando lecionou artes plásticas queria que seus estudantes a tratassem como igual e os ensinou a apreciar a arte nativa e folclórica do México, afinada ao signo domiciliar de Câncer. Fazia campanhas pela igualdade social e até o fim lutou pela revolução social, dizendo ser esta “a única razão para viver”.

A tristeza e esgotamento decorrentes das desilusões sociais, decepções amorosas e problemas de saúde a levaram ao abuso do álcool e barbitúricos, quando suas pinturas retratavam mais e mais sua dor. Uma tentativa final de cirurgia em sua espinha nos últimos anos de sua vida (1950) resultaram em complicações com diversas outras cirurgias subsequentes. Sua saúde nesta altura tampouco permitia qualquer mobilidade e ela vivia confinada (Marte regente da casa IV na casa VI). Ainda assim em Abril de 1953 a levaram para uma importante exposição solo de seus trabalhos na Galeria de Arte Contemporânea no México. Na manhã do dia 13 de Julho de 1954 sua enfermeira a encontrou morta em sua cama e há especulações de que tenha sido um suicídio por overdose, já que a contagem de seu remédio para dor mostrou uma ingestão excessiva do remédio. Além disso Frida havia presenteado Diego com uma lembrança de casamento na noite anterior antecipadamente a data. O regente do Ascendente na casa XII a levou aos confins de sua dor com um final talvez até previsível, dada a configuração desfavorável de seu regente em oposição partil a Marte. Porém 3 planetas em exaltação – Júpiter, Marte e a Lua – fizeram de Frida Kahlo uma guerreira sobrevivente no combate ou perpetuação de sua dor, o único modo como sabia viver.

Esta análise fez parte de um trabalho que apresentei a um grupo de estudos de Astrologia Helenística em Abril de 2017 e se limita ao mapa natal. Esta análise não considera os regentes do tempo, para determinar quando acontecimentos se desenrolariam e quais os planetas envolvidos como regentes ou estopins para o desencadeamento de eventos. Artigo a ser continuado para que mais esta faceta de seu mapa seja revelada.

(1) Rhetorius, o Egípcio, Astrological Compendium, ch.57 trans. James Holden com livre tradução para o Português
(2) Rhetorius, o Egípcio, Astrological Compendium, ch.57 trans. James Holden com livre tradução para o Português
(3) Brennan, Chris, Hellenistic Astrology, ch.14
(4)Maternus, Firmicus, Matheseos, Livro III, trans. by Bram com tradução livre para o Português
(5) Rhetorius, o Egípcio, Astrological Compendium, ch.56 trans. James Holden com tradução livre para o Português
(6) Abu Ma’shar, Introductions, trans. by Ben Dykes com tradução livre para o Português
(7) Maternus, Firmicus, Matheseos, Livro V, trans. by Bram com tradução livre para o Português

3a Edição Revista Astrolábio

Artigo para Revista Astrolábio
19 November 2018

AstroPaula
Paula Belluomini, CAP, é consultora Astrológica focada em Astrologia Natal e nos Regentes do Tempo.